artigos

11
Novembro, 2015
AVIVAMENTO DESEJADO POR DEUS
Palavra Pastoral

AVIVAMENTO DESEJADO POR DEUS

2 Crônicas 7.14-15 Avivamento não é uma série de conferências evangelísticas, mas um genuíno despertamento em que o povo é chamado pelo Espírito Santo para a realidade de uma vida e atividade inteiramente nova. A oração deixa de ser mero hábito ou dever e torna-se uma alegre explosão de uma alma que anela por buscar a comunhão com o Rei. O Espírito leva intimamente à intercessão, ao louvor e à comunhão. O derramamento do Espírito cria um coração quebrantado e cheio de amor a Deus, aos irmãos e às almas perdidas.

No avivamento, Deus leva homens e mulheres à estaca zero, e então os faz perder toda a autoconfiança e desejar os caminhos do Senhor. Isto significa quebrantamento, contrição. É descer para poder subir.

“Se o meu povo...
 Se humilhar,
                E orar,
                E me buscar,
                E se converter...

” O castigo que Deus envia ao seu povo nos tempos de declínio moral, indiferença espiritual e de parceria com o mundo é a seca, a esterilidade e a peste (2 Crônicas 7.13).

Por isso, devemos almejar um verdadeiro avivamento, não de formas ou fachada, mas de conteúdo. Avivar é oferecer vida (João 10.10). Foi o que aconteceu quando o homem estava morto em delitos e pecados e recebeu vida na morte e ressurreição de Cristo. Fomos incluídos na morte de Cristo para perdermos nossa vida de pecado e injustiça (Efésios 2.1-3), e ressuscitados juntamente com ele para ganharmos a sua vida de justiça e santidade (Romanos 6.4-5).

Se queremos avivamento, o primeiro passo a ser dado é acertar nossa vida com Deus. O pecado deve ser extirpado porque produz morte e desgraça. Deve ser tratado como pecado, pelo nome; não por fraqueza, doença, ignorância, hereditariedade ou trauma psicológico. Qualquer desejo por avivamento que não venha reconhecer o pecado e abandoná-lo é leviano.

Finney costumava dizer que o povo de Deus podia ter um avivamento quando estivesse disposto a pagar o preço. A dificuldade não está com Deus, nem com o Espírito Santo, nem com o Evangelho. Deus ama os perdidos, o Espírito Santo convence do pecado da justiça e do juízo e o Evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê.

No verdadeiro avivamento o homem é levado a olhar para si. Descobre suas misérias, fraquezas e fracassos, e é levado a arrepender-se confessando com lágrimas e tristeza seus pecados.

Há em nossos dias grupos chamados cristãos declarando estarem experimentando um avivamento. Mudaram suas formas de culto, porém não há arrependimento nem mudança de vida. Continuam desonestos em seus contratos e negócios, há em sua vida infidelidade conjugal, não abandonaram a mentira, a maledicência, as palavras torpes e imorais. Estão envolvidos com pornografia, imoralidade, namoro desonesto, fornicação... “Por fora bela viola, por dentro pão bolorento”. Sepulcros caiados, disse Jesus.

No avivamento, a pregação do Evangelho realiza o milagre de transformar o iníquo pecador num santo e justo filho de Deus. Quando estudamos a história dos avivamentos, observamos que eles começaram com humilhação e confissão por parte dos filhos de Deus. O Espírito Santo convencerá os ímpios quando estivermos quebrantados e submissos diante de Deus.

Não existe avivamento, senão o que é produzido pela oração sincera e fervorosa dos filhos de Deus. “A oração é o maior poder sobre a terra”. As fontes de Deus são liberadas, e o Espírito Santo tem oportunidade de manifestar sua soberania. “A maior coisa que podemos fazer para Deus é orar. A maior coisa que podemos fazer para o homem é interceder” — A.W. Tozer.

A esterilidade espiritual de muitos chamados cristãos e igrejas é a injustificada negligência na oração. Por vezes pensamos que se conseguirmos alcançar uma melhor “tecnologia espiritual” específica para uma dada comunidade ela irá prosperar. Deus não tem compromisso com métodos ou estruturas, mas com homens totalmente entregues em suas mãos. Um homem nunca trabalha tanto e tão eficazmente como quando está de joelhos na presença de Deus. Ninguém jamais estará habilitado a falar de Jesus aos homens sem que antes tenha aprendido a falar dos homens a Deus.

Se desejamos que venham as transformações tão necessárias para a nossa pátria, devemos nos empenhar para que o verdadeiro avivamento seja experimentado em nossas vidas, famílias e igrejas, e então o mundo ao nosso redor provará a grandiosidade e a soberania de um Deus fiel e cumpridor de suas promessas.

O VERDADEIRO AVIVAMENTO

Um avivamento traz mudanças profundas na sociedade, por isso precisamos dele urgentemente! As condições para um avivamento espiritual e restauração do propósito de Deus são:

HUMILHAR-SE
Reconhecimento das faltas – tristeza pelo seu pecado – renovar o compromisso de obedecer a Deus.
Salmo 34.18 = coração quebrantado.
Salmo 51.17 = espírito quebrantado.
Mateus 5.3 = humildes de espírito.
Mateus 18.4 = como criança.
(Provérbios 16.19; 22.4; 29.23; Isaías 57.15; 66.2)

ORAR
Clamar pedindo misericórdia. Oração fervente e perseverante.
Lucas 11.1-13 = instrução sobre oração.
Tiago 5.17-18 = oração de Elias.
Jeremias 33.3 = clama a mim.

BUSCAR MINHA FACE
Buscar a Deus com dedicação – de todo o coração – ansiar pela sua presença.
Isaías 55.6-7 = buscai enquanto pode achar.
1 Crônicas 16.11; 22.19 = buscai o Senhor.
(Deuteronômio 4.29; Salmo 105.4; Oséias 10.12; Atos 17.27)

CONVERTER-SE DOS MAUS CAMINHOS
Arrependimento sincero e abandono de pecados específicos.
1 Reis 21.27 = Acabe se arrepende.
2 Reis 22.19 = Josias.
Esdras 10.1 = Esdras.
Jonas 3.6-9 = Nínive.
Lucas 18.13 = o publicano.
(Hebreus 4.16; Zacarias 1.4; Jeremias 25.5; Joel 2.13; 2 Coríntios 7.10)

PECADOS
Pecado é o grande obstáculo para o avivamento. Não há vitória sem a remoção do pecado.

• Conversa vã = Provérbios 10.19
• Desprezo pelos outros = Provérbios 14.21
• Pensamentos insensatos = Provérbios 24.9
• Incredulidade = Romanos 14.23
• Descuido das oportunidades = Tiago 4.17
• Transgressão da lei = 1 João 3.4
• Toda injustiça = 1 João 5.17
• Infidelidade conjugal e nos dízimos = Malaquias 2.10 e 3.8
• Rebeldia = 1 Samuel 15.23 • Desonestidade = Mateus 5.37
• Mundanismo = 1 João 2.15-17
• Negligência espiritual = Jeremias 48.10
• E outros mais...

RESULTADO
Cumpridas as condições (nos humilharmos, orarmos, buscarmos a Deus e nos convertermos dos maus caminhos) virá o avivamento. Então Deus promete:

“Eu ouvirei...
                Perdoarei...
                E sararei...”

 

Pr. Carlos Alberto Q. Bezerra
Comunidade da Graça

Compartilhe !
0 Comentários
Deixe um Comentário:
LOCALIZAÇÃO

Av. Rio Branco, 141
Londrina - PR

TELEFONE

(43) 3338-3862

E-MAIL

alezachi@cglondrina.com.br
secretaria@cglondrina.com.br